World Cup USA 94 (Sega Mega Drive)

Vamos a mais uma rapidinha a um jogo desportivo. World Cup USA 94, tal como o nome sugere é uma adaptação para videojogo do Campeonato do Mundo de Futebol de 1994, que ocorreu nos EUA. A U.S. Gold foi a publisher que adquiriu os direitos para produzir o videojogo oficial do evento e a também britânica Tiertex lá o desenvolveu, lançando versões para imensos sistemas diferentes. As influências de clássicos como Kick Off e Sensible Soccer são notórias, mas será que a jogabilidade compensa? Lá veremos. O meu exemplar foi comprado no passado mês de Feveiro na Cash Converters do Porto. Custou-me 5€.

Jogo completo com caixa e manuais

A primeira coisa que vemos, depois do tradicional logótipo da Sega e afins, é um ecrã de escolha de língua. Até aqui tudo bem, mas depois quando queremos começar o jogo e entramos nos menus, todas as opções são representadas como ícones gráficos que envolvem o Striker, a mascote canina do torneio. Ora qual é a piada de escolher a linguagem do jogo com todos os menus assim?? Felizmente o meu exemplar possui manual, pelo que lá consegui descortinar melhor as coisas. É verdade que alguns ícones são bem representados e não deixam muitas margens para dúvidas, mas outros nem por isso. Portanto não começamos lá muito bem!

Ao longo das partidas vamos tendo estes pequenos pormenores gráficos

Temos vários modos de jogo distintos, mas o principal é claro o do World Cup, onde podemos escolher uma das 24 equipas que participou na fase final do torneio, jogando nos mesmos grupos que na competição. Existem no entanto outros modos de jogo onde poderemos escolher outras 8 equipas que não chegaram a se qualificar, como foi o caso de Inglaterra, França e Portugal. Este é o caso de partidas amigáveis, ou uma versão customizada do torneio onde poderemos escolher antes uma destas equipas alternativas. Existe também um modo treino, onde poderemos practicar livremente as mecãnicas de jogo em partidas amigáveis, bem como treinar livres ou penáltis. É também possível customizar uma série de aspectos, desde a activação de condições meteorológicas aleatórias entre cada partida (nomeadamente o vento que acabará por influenciar a trajecótória da bola, a formação adoptada pela equipa, ou mesmo as cores do equipamento, desde as camisolas e calções, mas também as meias e chuteiras!

O árbitro adora mostrar cartões para o vazio!

Outra das coisas que podemos customizar são algumas regras, como a activação ou não de foras-de-jogo, ou do atraso de bola para o guarda redes. Mas a mais importante para mim é o controlo de bola: podemos ter a bola sempre “presa” aos nossos pés como em muitos jogos de futebol de hoje em dia, ou como em alguns clássicos, ter a bola mais solta, cuja direcção vai depender da forma como nos movimentamos em campo. Pessoalmente eu prefiro ter mais controlo sobre a bola, nunca fui um grande fã das outras mecânicas de jogo. Portanto a nível de opções até que temos aqui muita variedade!

A nível audiovisual é um jogo algo inconsistente, sinceramente. É verdade que é um jogo colorido, os menus apesar de não serem nada funcionais são bonitos de se ver. Durante as partidas em si, vamos vendo vendo alguns pop-ups de janelas a aparecerem no ecrã quando algumas coisas acontecem, como a bola sair de campo, vemos uma janela com um fiscal de linha a fazer um movimento a indicar o lançamento de linha lateral. Ou quando há um pontapé de baliza, aparece uma imagem também a indicar algo semelhante. Por outro lado quando há faltas e cartões para mostrar, não temos nenhum pop-up deste género, mas sim vemos o árbitro a correr em direcção aos jogadores e mostrar o cartão. Sobre o estádio e jogadores, bom, o jogo foi mesmo influenciado por clássicos como Sensible Soccer, pois as sprites são mesmo muito pequenas. Sobre as músicas, elas apenas existem nos menus, já durante o jogo apenas temos o ruído da plateia (que é quase inexistente) e o som da bola a ser chutada de um lado para o outro.

 

Sobre cyberquake

Nascido e criado na Maia, Porto, tenho um enorme gosto pela Sega e Nintendo old-school, tendo marcado fortemente o meu percurso pelos videojogos desde o início dos anos 90. Fã de música, desde Miles Davis, até Napalm Death, embora a vertente rock/metal seja bem mais acentuada.
Esta entrada foi publicada em Mega Drive, SEGA com as etiquetas , . ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.