Turok (2008) (PC)

Confesso que não sou um grande fã de reboots, mas esta série bem que precisava. Turok é uma série de FPS originários na velhinha Nintendo 64 (e PC) que tinha o diferencial de ser um shooter com dinosauros. Tudo o que um puto ranhoso nos anos 90 poderia desejar! Os primeiros jogos tiveram algum sucesso, mas desde o Turok 3 também para a N64 que a série ficou algo inactiva. Lançaram em 2002 o Turok Evolution para as várias plataformas da época, jogo que eu inclusivamente cheguei a ter (e a acabar) para a Nintendo Gamecube e o mesmo deixou um pouco a desejar. Depois apenas em 2008 resolveram re-imaginar a série com este jogo. A minha cópia foi comprada em Dezembro do ano passado numa Worten a 3€, e está em óptimo estado.

Turok 2008 PC

Jogo completo com caixa e pseudo-manual

Mais uma vez o protagonista é um descendente nativo-americano, de nome Joseph Turok. A acção decorre num futuro distante, cheio de space marines e mercenários. O Zé Turok fazia parte de um grupo de mercenários de nome Wolfpack, liderados por Kane, o seu mentor que lhe ensinou muitas técnicas de combate. A certa altura os Wolfpack começam a envolver-se no desenvolvimento de armas biológicas e a matar pessoas inocentes e o Zé, como bom menino que é, decidiu dar de frosques e juntou-se a uma espécie de Commandos do espaço, numa missão para perseguir e capturar os membros dos Wolfpack. Ao chegar ao fim da viagem, Kane ataca a nave do Turok, despenhando-se num planeta repleto de dinossauros, soldados inimigos, entre outras criaturas. A história começa dessa forma, com Turok e os seus colegas a lutar pela sobrevivência e dar chumbo nuns quantos Wolfpacks que se metam no seu caminho.

Screenshot

Quanto maior for o dano, pior é o campo de visão

A jogabilidade não é muito diferente de um FPS moderno: limite do número de armas que se pode carregar, auto-heal, vários checkpoints ao longo do mapa, etc. Para além de uma faca e arco que são armas fixas no arsenal do Zé, existem outros 2 slots para armas à escolha, entre as quais revolveres, shotgun, metralhadoras, sniper rifle, entre outras. Infelizmente não existe nenhuma arma toda fancy como nos jogos anteriores, mas existe a possibilidade de usar 2 armas ao mesmo tempo,  bem como a maioria das armas ter um modo secundário de disparo. Alguns são bem originais, como os flares da shotgun que atraem dinossauros, óptimos para armar emboscadas a soldados inimigos, bem como a chaingun que se pode tornar numa turret. Para além disto existem também várias sequências de “Quick Time Events” onde temos de carregar nos botões que vão sendo indicados no ecrã dentro de um tempo limite. De resto, Turok é um FPS algo genérico que não traz nada de realmente novo – mesmo matar dinossauros em HD de uma forma artística acaba por cansar. Os níveis, apesar de por vezes apresentarem um ou outro caminho alternativo são bastante lineares e a campanha single-player é relativamente curta. A Inteligência Artificial por vezes deixa muito a desejar, mesmo as dos companheiros de Turok, que se metem sempre atrás de nós a disparar, e acabamos por levar por tabela também. A história não se desenrola da melhor forma e o próprio final do jogo deixa algo a desejar.

screenshot

Um Quick Time Event - todos eles inúteis

Infelizmente, na altura em que comprei o jogo, os servidores oficiais de multiplayer já tinham sido encerrados, pelo que não pude experimentar nada desta vertente. Contudo, pelo que pesquisei existia a opção de várias vertentes de deathmatch, capture the flag e afins. A novidade é que também inseriram dinossauros nos mapas multiplayer, para aumentar o caos. Para além do modo competitivo existiam também alguns mapas cooperativos, com pequenas missões para serem cumpridas.

Passando para o quesito técnico, Turok é um jogo que usa a engine Unreal 3, uma das mais importantes da actual geração. Infelizmente não é dos jogos que melhor a usa. As personagens não estão mal modeladas e os dinossauros estão muito bem conseguidos, inclusive a sua movimentação. Mas os cenários e texturas dos mesmos estão um pouco fracos, principalmente os cenários mais “urbanos”, pois a vegetação e afins até não está mal de todo. Passando para o som confesso que não dei grande importância à banda sonora, isto por uma razão muito simples. O som das vozes por defeito estava baixo demais, não se conseguia perceber nada, pelo que tive de baixar o volume dos efeitos sonoros e música, mantendo o volume das vozes no máximo. Ao menos incluíram essa opção, foram simpáticos. O voice acting em si também não era nada de especial, e a narrativa também é algo insípida. De resto notei alguns bugs no jogo, principalmente no quick-save que pelos vistos é exclusivo da versão PC. O uso do quick-save causa efeitos muito estranhos no jogo, como scripted events não decorrerem, ou o mapa ficar deserto. A mim aconteceu, e apenas retomando o último checkpoint como se faz normalmente resolveu o problema. O framerate também não é dos melhores.

screenshot

Acertar no joelho aqui não adianta de muito.

Concluindo, este Turok não é um jogo mau de todo, mas sinceramente também não é um FPS que me tenha agradado por aí além. Esquartejar dinossauros com uma facalhona é divertido sem dúvida, mas a novidade acaba por desvanecer. A história também não é algo que empolgue muito. Existem, pelo menos na versão PC, vários bugs de desempenho no jogo como já mencionei anteriormente, e a IA tanto dos inimigos como dos aliados não é a melhor. Não é um jogo que recomende, a menos que o encontrem a menos de 3€ como eu.

Sobre cyberquake

Nascido e criado na Maia, Porto, tenho um enorme gosto pela Sega e Nintendo old-school, tendo marcado fortemente o meu percurso pelos videojogos desde o início dos anos 90. Fã de música, desde Miles Davis, até Napalm Death, embora a vertente rock/metal seja bem mais acentuada.
Esta entrada foi publicada em PC com as etiquetas . ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.