Super Mario Bros. / Duck Hunt (Nintendo Entertainment System)

Voltando às rapidinhas na NES, ficamos agora com mais um clássico. Na verdade são antes 2 clássicos, embora eu já tenha escrito sobre o Super Mario Bros anteriormente, pelo que este artigo irá antes incidir sobre o Duck Hunt, esse grande clássico da Zapper, que infelizmente ainda não arranjei uma. O meu exemplar veio da Cash Converters do Porto algures no início do mês passado, tendo custado 3€.

Apenas cartucho, versão norte-americana

Mas se não tive a oportunidade de jogar este jogo na minha NES por não ter uma Zapper, não deixa de ser um jogo em que tenha torrado muitas horas, tal como o Wild Gunman. Isto porque desde a minha infãncia que também tinha uma famiclone que incluía uma lightgun e um cartucho repleto de jogos, incluindo este Duck Hunt. E este jogo é um daqueles á moda antiga das arcades, um jogo sem fim onde o objectivo é o de fazer a máxima pontuação possível. E aqui dispomos de 3 modos de jogo, onde o primeiro é o mais simples: uma série de patos vão voando sucessivamente, um atrás do outro, sendo que em cada round temos uma quota mínima de patos para abater. À medida que vamos progredindo nos rounds, os patos vão sendo cada vez mais rápidos e imprevisíveis, bem como a quota mínima vai aumentando gradualmente. O segundo modo de jogo é em todo semelhante, mas temos sempre 2 patos no ecrã em simultâneo para abater. O último modo de jogo já é completamente diferente, parece retirado de um outro jogo, consistindo numa outra galeria de tiro onde os alvos a abater são pratos de cerâmica.

Ainda dizem que as imagens não têm som…

A nivel audiovisual, é um jogo extremamente simples, porém repleto de charme, principalmente pela forma como o nosso cão de caça interage connosco. Se acertarmos nos patos, ele surge do meio da vegetação agarrando o pato que acabamos de abater como um troféu. Se por acaso falharmos algum tiro, o cão surge uma vez mais, mas desta vez a rir-se de nós. E não adianta dispararem sobre o cão para descarregarem as vossas frustrações, pois nesta versão ele é invencível. Já as músicas, elas apenas existem na forma de pequenas melodias, seja no ecrã título, seja entre cada round já no jogo em si. Para mim são músicas e efeitos sonoros bastante icónicos e memoráveis, e basta alguém mencionar o nome Duck Hunt para na minha cabeça ouvir o barulho irritante do cão a rir-se de nós!

Portanto este é um grande clássico da NES, embora seja um jogo muito simples. Mas por esse mesmo motivo é que é bom relembrar que um jogo se for muito bom, memorável e viciante, é eterno, por muito que a  tecnologia evolua com o tempo. Este Duck Hunt é um dos casos.

Sobre cyberquake

Nascido e criado na Maia, Porto, tenho um enorme gosto pela Sega e Nintendo old-school, tendo marcado fortemente o meu percurso pelos videojogos desde o início dos anos 90. Fã de música, desde Miles Davis, até Napalm Death, embora a vertente rock/metal seja bem mais acentuada.
Esta entrada foi publicada em NES, Nintendo. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.