Super Smash Bros. Melee (Nintendo GameCube)

super_smash_bros_melee_frontcover_large_ezDwYLaVIMk6rSjDepois de um jogo de luta que apesar de visualmente simples, apresenta uma jogabilidade complexa, veremos agora o contrário. Super Smash Bros. Melee, como é habitual da série, é um jogo de luta bonito, simples e bastante divertido. A minha cópia foi adquirida não sei bem quando, talvez em 2004, 2005, numa altura em que muitos jogos da GameCube estavam a ser vendidos a 9.99€ nalgumas lojas Worten. A minha cópia foi adquirida na Worten do Marco de Canavezes, juntamente com Starfox Adventures e Super Mario Sunshine ao mesmo preço. Está impecável.

SSB M

Jogo completo com caixa, manual multilingue, português e restante papelada

A série Super Smash Bros. quase que poderia ser classificada de “party fighter”, pois junta um grande conjunto de personanges da Nintendo ao longo dos anos, umas personagens mais conhecidas que outras. Super Smash Bros. tem um modo “arcade”, desafios, multiplayer altamente customizável até 4 jogadores, minijogos, vários troféus para coleccionar, etc.  É verdadeiramente um prato cheio de conteúdo para todos os fãs da Nintendo. A série teve a sua origem na Nintendo 64, já perto do fim de vida da consola, tendo sido um jogo bastante original com bom sucesso de vendas. Pouco depois do lançamento da GameCube ainda em 2002, Super Smash Bros. Melee saiu para o mercado, tendo sido um dos jogos mais vendidos da plataforma.

screenshot

Porrada no castelo da Peach

A jogabilidade é simples. O botão A serve para ataques básicos, botão B para ataques especiais, cima, X ou Y servem para saltar, L ou R para bloquear, Z ou L/R+A para agarrar no adversário, etc. Com base nestes simples botões os restantes movimentos executam-se combinando as direcções do analógico com o botão A ou B, não havendo grandes sequências de botões para desencadear um golpe complexo. Ao contrário dos outros jogos de luta, aqui o objectivo não é derrotar os inimigos por Knock Out, mas sim colocá-los fora de ringue. À medida que um lutador recebe dano, uma percentagem é aumentada, e quão maior essa percentagem for mais hipóteses o lutador tem de sair disparado do ecrã para um ring-out. Em Super Smash Bros  também há muita interactividade com o cenário, bem como uma panóplia de items que podem ser usados, desde martelos, armas de fogo, espadas a poké bolas com vários Pokemon e diferentes ataques. Inicialmente estão disponíveis 14 lutadores: Mario, Bowser, Peach, Yoshi, Donkey Kong, Captain Falcon, Fox McCloud, Ness (do jogo Earthbound/Mother 2), Ice Climbers, Kirby, Samus Aran, Zelda/Sheik, Link e Pikachu. À medida que se vai jogando vão sendo desbloqueados lutadores e arenas secretas nomeadamente: Luigi, Dr Mario, Ganondorf, Falco, Link criança, Jigglypuff, Pichu, Mewtwo, Roy e Marth (da série Fire Emblem), e Mr Game & Watch.

screenshot

Hyrule Temple em Super Smash Bros

Passando para os modos de jogo single player, em primeiro lugar temos o “Classic Mode”, que consiste numa série de 11 lutas/eventos contra oponentes aleatórios (excepto o boss final que é sempre a Master Hand). O Adventure Mode consiste numa série de 21 lutas/eventos contra adversários pré-determinados. Aqui os eventos assumem uma característica mais “aventureira” contendo vários níveis de puro platforming. São inicialmente 21 eventos pré-determinados mas existem algumas variantes secretas bem como alguns níveis novos também secretos que podem ir sendo desbloqueados. Ao desbloquear todos os lutadores existe também o Allstar Mode, uma série de 13 lutas contra oponentes aleatórios. As primeiras 4 batalhas são contra um oponente, as 4 seguintes contra 2, as restantes contra 3 oponentes excepto a última que é sempre contra uma equipa de Mr. Game & Watch. Um outro modo de jogo bastante interessante é o “Event Mode” que como o nome indica consiste em completar uma série de eventos prédeterminados, como por exemplo derrotar um inimigo gigante, apanhar 200 moedas,  derrotar 128 Marios, etc. Existem 51 diferentes eventos. Um outro modo de jogo é o “Target Testing”. No modo clássico, um dos eventos consiste em uma arena especial repleta de obstáculos, plataformas e uma série de alvos espalhados no ecrã. O objectivo consiste em destruir esses alvos sem sair fora do ringue. Cada lutador tem uma arena inteiramente diferente para o Target Testing. Enquanto que no Classic Mode não é obrigatório destruir todos os alvos, aqui é. Ao completar este modo com todas as personagens desbloqueia-se uma arena secreta. Existe também o “Multi-Man Melee”, que são uma série de lutas contra os “Wire Frame”, umas personagens semelhantes a bonecos de arame, este modo consiste em 6 diferentes lutas, seja com o objectivo de derrotar um número de Wireframes ou sobreviver durante um período de tempo.  E o modo single player ainda não terminou! Existe o mini-jogo Home-Run Contest, que é uma mistura de lançamento do peso à base da pancada num saco de boxe e por fim existe um modo de treino para praticar os movimentos.

Screenshot

Captain Falcon a distribuir lenha

Passando para a vertente multiplayer, este jogo oferece também um vasto leque de opções e regras. O VS mode standard pode ser jogado com um máximo de 4 jogadores com as regras standard do jogo normal (número de ring outs), seja em modo totalmente competitivo ou com pequenas equipas. Existe também um Tournament Mode com um limite máximo de 64 jogadores. Em ambos os modos podem ser configuradas uma série de opções, desde handicaps, graus de inteligência de bots, friendly fire, items a surgir,etc. Finalmente existe um modo especial “Special Melee” que segue uma série de regras fixas. Podemos destacar o “Camera Mode” que permite tirar fotografias dos combates, o “Giant Melee” onde todos os lutadores são gigantes, “Stamina Mode”, onde os lutadores possuem uma “barra de energia” (na verdade é uma percentagem na mesma) e o objectivo é derrota-los por knock out, quando a energia chega a zero. Entre muitos outros que o post já está a ser longo…

Outro grande trunfo deste jogo é a colecção de troféus com figuras de personagens e items de vários jogos ligados à Nintendo. Os troféus dos lutadores disponíveis no jogo podem ser adquiridos finalizando o modo clássico e o modo adventure. Posteriormente existem uma série de troféus “genéricos” sobre várias outras franchises Nintendo de jogos conhecidos ou mais obscuros como Mach Rider de NES, por exemplo. Esses troféus podem ser coleccionados ao serem encontrados nas arenas no modo Adventure, em eventos próprios no modo clássico, ou através de “máquinas de brindes virtuais”, que podem ser adquiridos a troco de créditos especiais ganhos ao longo do jogo. Ainda assim, existe uma série de troféus, lutadores e arenas escondidas ao completar os vários modos de jogo disponíveis ou através de outros truques. Tudo isto, aliado a uma banda sonora que vai buscar temas memoráveis a todos as diferentes séries, tornam este jogo num autêntico “doce” para qualquer fã da Nintendo que se preze.

Screenshot

Exemplo de um troféu completamente obscuro para os jogadores ocidentais. Ainda bem que não cortaram este tipo de coisas.

Graficamente o jogo é bastante agradável, que apesar de não ter modelos muito detalhados, os cenários são bastante coloridos e agradáveis de jogar. Uns anos depois saiu Super Smash Bros. Brawl para a Wii que ainda introduziu novas personagens (algumas fora da própria  Nintendo como Sonic e Solid Snake), pelo que na minha opinião é ainda um jogo melhor. Mas de qualquer das maneiras Super Smash Bros. Melee não deixa de ser um jogo icónico da GameCube, divertido e repleto de conteúdo para descobrir, que qualquer fã de Nintendo com uma GC ou Wii deveria possuir.

Sobre cyberquake

Nascido e criado na Maia, Porto, tenho um enorme gosto pela Sega e Nintendo old-school, tendo marcado fortemente o meu percurso pelos videojogos desde o início dos anos 90. Fã de música, desde Miles Davis, até Napalm Death, embora a vertente rock/metal seja bem mais acentuada.
Esta entrada foi publicada em GameCube, Nintendo. ligação permanente.

2 respostas a Super Smash Bros. Melee (Nintendo GameCube)

  1. Este é dos poucos jogos que por melhor que falem ou escrevam acerca do mesmo não me convencem. Das vezes que joguei fiz um esforço terrível para aguentar o tempo. Ainda assim não digo que não seja bom, para quem goste do género.

  2. Pingback: Super Smash Bros. (Nintendo 64) | GreenHillsZone

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.