Pac-Man (Atari 2600)

Mais uma super rapidinha a uma das primeiras, senão mesmo a primeira, adaptação para uma consola do grande clássico que foi nas arcadas, o primeiro Pac-Man, criado pela Namco, mas publicado nas arcades fora do Japão pela Midway, num estranho acordo de licenciamento que até lhes permitiu o desenvolvimento de algumas sequelas, como foi o caso de Ms. Pac-Man. Entretanto, no que diz respeito aos sistemas domésticos, sejam consolas ou computadores, foi a Atari quem publicou imensas conversões para practicamente todas as plataformas relevantes que existiam no ocidente, entre 1982 e 1983. A mais famosa, mas não pelas melhores razões, é mesmo a versão da Atari 2600 que cá trago agora. Tal como os outros jogos desta plataforma que cá trouxe recentemente, o meu exemplar veio de um pequeno bundle de alguns jogos, consolas e acessórios que comprei recentemente numa feira de velharias por 25€.

Cartucho solto

Toda a gente conhece o Pac-Man original. Aquele jogo onde temos um labirinto repleto de bolas amarelas e alguns fantasmas a perseguir-nos. A fórmula é muito simples de entender e rapidamente viciante: o objectivo é o de apanhar todos os objectos no labirinto sem que os fantasmas nos apanhem. Espalhados pelos labirintos teremos também uns quantos power ups que nos deixam temporariamente invencíveis e é aí que nos podemos vingar dos fantasmas, ao devorá-los e arrecadar ainda mais pontos. Uma vez limpo o labirinto, recomeçamos o desafio.

É verdade que a Atari 2600 tem um hardware muito modesto, mas podiam ao menos acertar nas cores e no design do labirinto

Agora esta versão da Atari 2600 foi muito criticada quando saiu. Era expectável que a nível audiovisual a conversão não fosse tão fiel devido às limitações técnicas da consola, mas o resultado ainda assim ficou bastante aquém das expectativas. Não conheço a Atari 2600 assim tão bem para saber o quão melhor esta versão do Pac-Man poderia ter sido, mas pelo menos acertarem nas cores e design do próprio labirinto creio que seria o mínimo. Em vez de círculos amarelos para o Pac-Man comer, temos linhas e os power ups são quadrados gigantes. Os fantasmas possuem todos a mesma cor, enquanto na versão original cada fantasma de cada cor possuía diferentes padrões de movimento. Aqui sinceramente nem dá para perceber e para além disso há um grande sprite flickering, aí acredito que seja mesmo pelas limitações da consola em apresentar tanta sprite em simultâneo no ecrã. Mas esse flickering é incomodativo, pois por vezes até parece que os fantasmas desaparecem do ecrã e outras vezes nem me apercebo porque morri. De resto os efeitos sonoros também não são nada de especial.

Portanto este Pac-Man é uma versão muito modesta do clássico arcade e aparentemente foi lançada desta forma apenas porque a Atari apressou bastante o lançamento do jogo. A Atari publicou também conversões para muitos outros sistemas na mesma altura, presumo que todas elas sejam melhores.

Sobre cyberquake

Nascido e criado na Maia, Porto, tenho um enorme gosto pela Sega e Nintendo old-school, tendo marcado fortemente o meu percurso pelos videojogos desde o início dos anos 90. Fã de música, desde Miles Davis, até Napalm Death, embora a vertente rock/metal seja bem mais acentuada.
Esta entrada foi publicada em Atari 2600. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.