Pokemon Pinball (Nintendo Gameboy Color)

Voltando às rapidinhas, hoje trago-vos um dos primeiros spinoffs da saga Pokémon para a Gameboy Color, o Pokémon Pinball, ainda da primeira geração de Pokémon, com os originais 151 para apanhar. E tal como o nome do jogo refere, é uma adaptação para pinball. Quanto à sua execução, veremos se realmente foi uma boa ideia ou não. Entretanto o meu exemplar veio parar à minha colecção por 2 partes. A caixa, com todos os manuais, papelada e inserts, tinha-me custado 1€ numa loja que a tinha para lá perdida em algum sítio. O cartucho em si custou-me uns 4€ a um particular.

Jogo com caixa, manual e papelada

Como muitos outros jogos de pinball, um dos objectivos é o de fazer o máximo de pontos possíveis, mas sendo este um Pokémon, também temos de os apanhar a todos. Ao iniciar a cada partida podemos optar pela mesa Red ou Blue, uma alusão aos 2 títulos Pokémon originais. E depois lá controlamos uma pokébola ao lançando-a pela mesa, ressaltando em vários objectos, passando por túneis ou alavancas, que nos vão dando mais pontos e multiplicadores de pontos. Para além disso, é precisamente ao conseguir seguir uma sequência específica de eventos que poderemos também capturar ou evoluir pokémons. Tanbém vamos tendo acesso a minijogos que são na verdade pequenos bosses como o caso do Mewtwo, os Digletts, o Meowth, entre outros. Cada mesa possui a possibilidade de visitarmos várias localizações dos primeiros jogos, como Vermillion City, Mt. Moon, Celadon ou outros, sendo que cada localização possui diferentes Pokémons para apanhar. Apanhar os 151 é uma tarefa hercúlea e exige muitas e muitas horas de pinball, algo que eu não tenho tanta paciência assim.

As diferentes mesas têm também diferentes locais para visitar e pokemons para apanhar

Para além disso, a física deixa muito a desejar, pois por vezes vemos a bola a ter comportamentos que não lembram a ninguém. Por outro lado este é um dos poucos jogos da Gameboy Color que suportam o sistema rumble que adiciona vibração à consola, necessitando para isso de inserir uma pilha AAA no cartucho. Sinceramente não me faz falta! No que diz respeito aos audiovisuais, por um lado as músicas são agradáveis, assim como os efeitos sonoros. Por outro, acho que as mesas de pinball poderiam ter mais algum detalhe.

Para apanhar ou evoluir um pokemon é necessário que a bola bata numa série de sítios

Portanto este é um jogo de pinball que até pode agradar aos fãs do género se quiserem um jogo apenas para pontuar. Para os fãs de Pokémon apenas, será mais difícil de agradar.

Sobre cyberquake

Nascido e criado na Maia, Porto, tenho um enorme gosto pela Sega e Nintendo old-school, tendo marcado fortemente o meu percurso pelos videojogos desde o início dos anos 90. Fã de música, desde Miles Davis, até Napalm Death, embora a vertente rock/metal seja bem mais acentuada.
Esta entrada foi publicada em Gameboy Color, Nintendo. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.