Super Meat Boy – Ultra Edition (PC)

Super Meat BoyO que dizer deste jogo fantástico? Super Meat Boy, lançado originalmente em 2010, é uma autêntica homenagem aos jogos retro e também indie. Produzido por Edmund McMillen e Tommy Refenes , Super Meat Boy é um exigente jogo de plataformas em 2D, com uma jogabilidade visceral, sem qualquer misericórdia e que nos faz chorar por mais. Ah, e está repleto de humor negro também. Este foi um jogo que atingiu um sucesso tremendo, na minha opinião inteiramente merecido. Lançado originalmente para a X360, através do serviço XBLA, o jogo acabou por sair também para PC, onde veio parar às minhas “mãos” por intermédio do Humble Indie Bundle V, juntamente com outros excelentes jogos como Sword & Sworcery ou Amnesia. Existe uma edição em formato físico que também acabei por vir a ter na minha colecção, oferta da minha namorada. Esteve numa promoção a cerca de 3€ em várias lojas da New Game, teve mesmo de ser aproveitada. Esta Ultra Editon, para além de incluir um poster do jogo, traz também um booklet contendo várias bandas desenhadas do jogo, artwork, e diversas outras curiosidades dos próprios desenvolvedores do jogo. Inclui também outros goodies digitais como a própria banda sonora do jogo.

Super Meat Boy Ultra Edition - PC

Jogo completo com caixa de cartão, caixa de dvd normal, poster e booklet

Meat Boy é o protagonista deste jogo, que já tinha dado caras em Meat Boy, um jogo baseado em flash lançado originalmente em 2008. E qual a história do jogo? Indo buscar as suas inspirações ao mais icónico jogo de plataformas de sempre, a trama é simples: o malvado Dr Fetus (sim, um feto humano dentro de uma “carapaça robótica”) raptou a Bandage Girl e cabe apenas ao Meat Boy em salvá-la, ao longo de um longo e doloroso percurso, repleto dos mais variados obstáculos. Meat Boy, sendo “apenas um pedaço de carne” é também bastante frágil, pelo que basta o mínimo dano para morrer.

screenshot

As cutscenes ainda retêm aquele estilo “flash player”, não fosse o jogo ainda baseado nessa tecnologia

A jogabilidade vai buscar todas as influências à expressão “Nintendo Hard” muito em voga quando se falam de jogos clássicos de NES como Megaman, Castlevania ou Ninja Gaiden. Meat Boy pode ser uma personagem extremamente frágil, mas compensa com a sua agilidade, sendo capaz de saltitar de parede em parede (tal como em Ninja Gaiden clássico), correr ou outros longos saltos. O jogo está dividido em 6 capítulos principais, cada um com a sua temática própria, sendo o primeiro passado numa floresta, o seguinte num hospital sinistro, um outro numa enorme fábrica de sal, outro no Inferno, entre outros. Cada nível tem apenas um objectivo: Levar Meat Boy com segurança do início ao local onde a Bandage se encontra à espera de ser socorrida. Os controlos estão muito bem implementados, com o jogo a responder bem ao input do jogador. No entanto, e tal como o jogo nos esfrega na cara sempre que o iniciamos, os controlos são muito melhores se jogados com um comando. O analógico para movimentar a personagem faz toda a diferença. Infelizmente o jogo está optimizado para utilizar apenas o comando da X360, obrigando a outras manobras para se utilizarem outros comandos genéricos. De resto a jogabilidade é incrivelmente fluída e desafiante. Este é daqueles jogos capazes de despertar o instinto homicida dentro de nós, tamanha é a frustração muitas vezes. Porém, quando conseguimos terminar um nível é sempre uma pequena vitória. Practice makes perfect, e este jogo é o reflexo disso mesmo. Felizmente possuímos vidas ilimitadas, então é muito frequente o tempo passar muito depressa para tão pouco progresso no jogo, e não se cansa.

Screenshot

O objectivo de cada nível é chegar à Bandage Girl. Neste exemplo, no canto superior esquerdo está também um dos portais que nos levam a um conjunto de níveis retro.

Cada capítulo possui 20 níveis mais um igualmente exigente boss. Contudo, se quisermos ser completicionistas, iremos encontrar dispersos ao longo dos níveis alguns pensos (não os higiénicos), muitas vezes escondidos ou em locais especialmente perigosos ou practicamente inacessíveis. Ao coleccionar esses pensos iremos desbloquear vários personagens extra com novas habilidades, desde versões retro do Meat Boy, passando por personagens de outros jogos como o headcrab de Half-Life, Alien Hominid, Captain Viridian de VVVVVV, entre outros. Para além dos pensos, existem também alguns portais escondidos nos níveis, que nos transportam cada um para um conjunto de 3 difíceis níveis retro. A diferença destes para os níveis normais, para além do audiovisual da velha guarda é o número limitado de vidas (3). Para tentar novamente, só entrando de novo no portal. Alguns destes portais são especiais, dando acesso ainda a mais umas quantas novas personagens jogáveis, todas estas provindo de outros jogos indie, como o Commander Video de Bit.Trip. ou Steve de Minecraft. Exceptuando as personagens desbloqueáveis através dos portais, as desbloqueáveis com os pensos variam entre as versões, existindo algumas que são exclusivas à X360. As habilidades destas personagens poderão ser bastante úteis para alguns determinados níveis, como a capacidade de double jump, ou mesmo flutuar temporariamente. Mas o conteúdo não se fica por aqui. No final de cada nível se conseguirmos bater um determinado tempo, somos atribuídos um A+ rank. Ora para se completar o jogo a 100% teremos de completar todos os níveis com esse ranking, pois cada um desses níveis pode posteriormente ser jogado num “Dark World”, apresentando os mesmos níveis com um grau de dificuldade acrescido, bem como mais bandages e portais para descobrir. Mas o conteúdo não se fica por aqui, existindo vários níveis feitos por fãs que podem ser jogados, ou mesmo as “negative zones“, paródias aos glitches dos velhos tempos, existindo uma por cada capítulo e contendo apenas um nível, mas exigente ao máximo.

Screenshot

Meat Boy vai deixando um rasto de sangue em tudo o que toca

Visualmente é um jogo na minha opinião excelente. O pixel art que acompanha o jogo está muito bem conseguido, sendo uma excelente homenagem aos jogos da velha guarda. O look retro dos níveis especiais então é ainda uma homenagem maior, apresentando vários níveis com visuais 8/16bit, a preto e branco como se uma Gameboy se tratasse, ou mesmo níveis mais primitivos, vindos directamente de uma Atari 2600. As cutscenes que antecedem cada capítulo são também homenagens aos grandes clássicos, sendo inspiradas em jogos como Castlevania, Ninja Gaiden, Pokémon ou Street Fighter II. Existemtambém referências a outros jogos nas cutscenes que antecedem os níveis retro, bem como a imensos outros jogos/desenvolvedores indie. A banda sonora é muito boa. Para um jogo que assenta tanto em “trial and error“, a música mistura de forma magistral chiptune com melodias mais rock ou electrónica que se adequam perfeitamente ao estilo de jogo e frustração que o mesmo proporciona. Lá mais para a frente é que decidiram ter uma abordagem mais épica com algumas músicas mais orquestradas, mas também não está mau. Já nos níveis retro, as melodias são as mesmas mas apenas em chiptune. O que é awesome. A sério, vão ouvir a música Hot Damned em Retro, por exemplo.

screenshot

Existe também um sistema de gravação de replays.

Concluindo, Super Meat Boy é um jogo que merece todos os elogios que recebeu. É sim um jogo difícil e desafiante, porém não deixa de ser uma excelente homenagem a tudo o que a indústria teve a ainda tem de bom. Absolutamente recomendado. E joguem com um comando.

Sobre cyberquake

Nascido e criado na Maia, Porto, tenho um enorme gosto pela Sega e Nintendo old-school, tendo marcado fortemente o meu percurso pelos videojogos desde o início dos anos 90. Fã de música, desde Miles Davis, até Napalm Death, embora a vertente rock/metal seja bem mais acentuada.
Esta entrada foi publicada em PC com as etiquetas . ligação permanente.

3 respostas a Super Meat Boy – Ultra Edition (PC)

  1. Pingback: Pequena edição ao Super Meat Boy. | GreenHillsZone

  2. Pingback: A Walk in the Dark (PC) | GreenHillsZone

  3. Pingback: The Basement Collection (PC) | GreenHillsZone

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.