Star Wars Jedi Knight: Dark Forces II + Mysteries of the Sith (PC)

Star Wars Jedi Knight Dark Forces IIDe volta aos first  person shooters que para quem for um leitor assíduo deste blog sabe que desde há muitos anos se tornou num dos meus géneros predilectos. O universo Star Wars é um universo bastante rico, que basicamente se enquadra com todos os géneros de videojogos existentes – e que acabou por ser explorado ao longo dos anos. Contudo no género dos FPS este não é o primeiro jogo a fazê-lo, tal feito se atribui à sua prequela lançada um ou dois anos anteriormente. Enquanto que o primeiro jogo ainda era “pseudo-3D” à moda dos velhinhos Doom e Duke Nukem 3D, este Jedi Knight já lançado em 1997 já é um jogo completamente em 3D e que mantém um certo balanço entre a jogabilidade old-school dos FPS da velha-guarda e várias inovações que mencionarei lá para a frente. A minha cópia foi adquirida na loja portuense TVGames, custou-me algo entre os 2 e os 3 euros, não me recordo. É uma edição que traz também a expansão Mysteries of the Sith. Foi um bom negócio, pena que seja uma reedição que apenas traz um manual digital.

Star Wars Jedi Knight Dark Forces II PC

Jogo e expansão completos com papelada e caixa

A história do jogo, à semelhança da sua prequela, segue as aventuras do Jedi mercenário Kyle Katarn, desta feita com a aventura a começar com Kyle a saber que o seu pai fora assassinado por um Dark Jedi, de nome Jerec. Quando tenta saber mais, Kyle descobre que o seu pai era um guardião do “Valley of the Jedi”, um local de sepulcro de Jedis falecidos, que de certa forma armazenava os seus poderes. Jerec e os seus companheiros também Dark Jedis procuram apropriar-se deste poder para controlarem o Universo – todos nós sabemos do que a casa gasta, quando estamos a falar do Império. O jogo tem a vertente single-player e multiplayer. No jogo a solo, a experiência é em parte da velha guarda na medida em que é um jogo relativamente linear, sendo dividido por vários níveis. No entanto, o clima cinematográfico, a exploração exaustiva dos níveis e respectivas resoluções de puzzles, o uso de vários objectos e diferentes poderes que poderemos adquirir, oferecem alguma não-linearidade, bem como também algumas funcionalidades visionárias do futuro, tal como a criação de objectivos a atingir ao longo dos níveis.

screenshot

Os punhos, como quase em todos os FPS, são inúteis.

O arsenal de Kyle é vasto, com diversas pistolas de variados tipos de raios laser, granadas e outros projécteis, para além do icónico lightsaber. O inventário de items à disposição vai desde items restaurativos passando por visores infra-vermelhos e lanternas. Convém também mencionar que muitas das armas têm um modo secundário de disparo. Ao longo do jogo vamos também adquirindo vários poderes Jedi que são bastante úteis (alguns mesmo necessários para a progressão no jogo), estando estes divididos em neutral, light e dark. Os poderes neutros apenas melhoram a “física” do Kyle, permitindo-lhe saltar bastante alto, correr rapidamente, etc. Os Dark são poderes violentos tais como disparar raios ou sufocar inimigos, enquanto que os poderes Light são mais usados para defesa pessoal, como ficar invulnerável durante um curto espaço de tempo, cegar os inimigos, recuperar energia, entre outros. Os poderes são adquiridos no final de cada nível, onde nos são atribuidas algumas “estrelas” de acordo com a nossa performance (número de locais secretos descobertos), que são posteriormente utilizadas na escolha dos poderes que queremos obter e melhorar. Esta dualidade traz 2 finais diferentes, o Light e o Dark. O número de poderes de um lado e de outro que escolhermos e o facto de assassinarmos ou não os vários NPCs que vão surgindo no jogo é que definem qual dos finais teremos. O jogo tem também um modo multiplayer, mas limita-se aos clássicos Capture the Flag e Deathmatch.

screenshot

Um exemplo de uma cutscene em FMV

Passando para a parte visual, o jogo tinha bons gráficos para a altura em que foi lançado, 1997, apostando num visual inteiramente poligonal, abandonando de vez as sprites de outros FPS. Mas o que realmente gostei foram das cutscenes gravadas com actores reais, tal como feito na famosa série Wing Commander. Apesar de a história não ser a mais empolgante de todo o sempre, as cutscenes cumprem bem o seu papel e tendo em conta os recursos, estão bem conseguidas. Mas melhor que as cutscenes é mesmo a banda sonora. Star Wars tem possivelmente a melhor banda sonora de toda a história do cinema, e não deixa de ser épico ouvir as músicas clássicas em todo o seu esplendor enquanto limpamos o sebo a uns quantos stormtroopers, ou num duelo de light sabers com um Dark Jedi. Infelizmente, sendo um jogo já com bastantes anos, não é trivial a sua correcta utilização em sistemas operativos modernos, mas existem vários sites disponíveis que ajudam nesta questão.

A expansão Mysteries of the Sith foi lançada no ano seguinte, contendo 14 níveis de uma nova história e mais uns quantos novos mapas para o multiplayer. A história decorre alguns anos após o final “bom” de Jedi Knight, onde Kyle Katarn já atingiu o grau de Jedi Master e conta com a sua aprendiz Mara Jade, outrora membro do Império. Tal como todas as expansões de FPS da velha guarda, esta é mais difícil do que o jogo original, que já trazia alguns mapas bem grandinhos e confusos quanto baste. Fizeram também algumas melhorias ao motor gráfico, adicionando mais alguns efeitos de luzes, para além de a Inteligência Artificial dos inimigos e NPCs ser superior. A apresentação cinemática viu-se reduzida, pois não repetiram as cutscenes em full motion video do jogo original, substituindo-as por sequências processadas pela própria engine do jogo.

screenshot

Ah sim, também se pode jogar em 3a pessoa.

Jedi Knight Dark Forces II é um FPS clássico do PC. Se não fossem os problemas que existem em corrê-lo nas máquinas actuais seria um jogo um pouco mais apelativo para ser jogado nos dias de hoje. Ainda assim, apesar de ser ultrapassado em vários quesitos, não deixou de ser um jogo inovador na altura em que foi lançado, e para os fãs de Star Wars ainda proporcionará uma experiência divertida.

Sobre cyberquake

Nascido e criado na Maia, Porto, tenho um enorme gosto pela Sega e Nintendo old-school, tendo marcado fortemente o meu percurso pelos videojogos desde o início dos anos 90. Fã de música, desde Miles Davis, até Napalm Death, embora a vertente rock/metal seja bem mais acentuada.
Esta entrada foi publicada em PC com as etiquetas . ligação permanente.

3 respostas a Star Wars Jedi Knight: Dark Forces II + Mysteries of the Sith (PC)

  1. Sou fã de SW mas confesso, apenas dos filmes. Os jogos, dos muitos que joguei, foram poucos os que me apelaram, incluíndo os FPS. Este (e o anterior) nem eram maus de todo mas sempre tive mais predilecção pelas batalhas no espaço, coisa que o Rogue Squadron III fez e bem. 🙂

  2. Pingback: Star Wars Jedi Knight II: Jedi Outcast (Nintendo Gamecube) | GreenHillsZone

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.